Yacht Club de Ilhabela convoca tripulações para 2015

marcos mendes/sailstation

Disputada neste ano por 130 barcos e considerada uma das melhores edições da história, Ilhabela Sailing Week já tem data marcada para 2015: entre os dias 4 e 11 de julho

Ilhabela (SP) – A 41ª edição da Ilhabela Sailing Week trouxe novamente medalhistas olímpicos e campeões mundiais de diversas classes às raias de Ilhabela. Torben e Lars Grael, Bruno Prada, Reinaldo Conrad, Maurício Santa Cruz, André Fonseca, o argentino Santiago Lange ajudaram a elevar o nível da competição e já sabem que em 2015 a principal competição de oceano do País será disputada entre os dias 4 e 11 de julho.

“Parabéns a todos que participaram da Ilhabela Sailing Week. Agradeço aos apoiadores e aos velejadores que proporcionam a festa no mar e na terra. Espero ver todos novamente em 2015″, pronunciou o comodoro do Yacht Club de Ilhabela (YCI), José Yunes, na tradicional festa de encerramento em que o palco preparado para a Banda Tom Cats foi transformado em pódio para receber os campeões de cada classe, antes do show que embalou as tripulações até o início da madrugada de domingo (27).

A festa foi considerada a melhor da história das 41 edições da Ilhabela Sailing Week. A banda tocou mais de três horas, com um repertório baseado em sucessos do rock dos anos 70, 80 e 90. O público não queria permitir que o show terminasse e a melhor definição foi do tripulante do BL3 Urca, o engenheiro civil Osvaldo Ferraz: “Parecia aquela festa de formatura do colégio em que ninguém queria que acabasse e todos se confraternizavam no fim, entre alegres e tristes, porque não se encontrariam diariamente a partir do dia seguinte”.

O diretor de Vela do YCI, Carlos Eduardo Souza e Silva, expressou a satisfação por ter recebido cerca de mil velejadores durante a semana. “Estou super feliz com o resultado. Por mais um ano conseguimos manter o padrão Yacht Clube de Ilhabela. Um dos objetivos para 2015 é aprimorar a Regata por Equipes, transformando-a em um interclubes ou em uma disputa regional que possa estimular as tripulações”. Neste ano de estreia, a competição movimentou 16 barcos de quatro equipes: Escola Naval (RJ), que foi a campeã, Santos, Ilhabela e Clube Naval Charitas, de Niterói.

“Evoluímos muito na organização dentro do clube nos últimos anos. Queremos expandir a longo prazo para, por exemplo, estabelecer parcerias com o Iate Clube de Santos, Pindá Iate Clube, envolver a programação cultural e musical da cidade com a esportiva e fortalecer o turismo de inverno em Ilhabela”, considerou Kalu.

Esta edição já teve um importante apoio da Prefeitura que montou uma das melhores programações culturais dos últimos anos, com destaque para os shows do Ira, Zeca Baleiro e Arnaldo Antunes. Segundo dados da secretaria de turismo de Ilhabela, a Ilhabela Sailing Week contribuiu para que cinco mil pessoas estivessem na cidade durante o evento.

Depois de um mês de junho muito fraco, na opinião geral dos comerciantes, a Ilhabela Sailing Week colaborou para incrementar o turismo de inverno. “Nossa pousada (a Armação dos Ventos) estava com 95% de ocupação e a escola de vela BL3 trabalhou com 100%, tanto que tivemos dois barcos competindo com tripulação completa. Para melhorar ainda mais, fomos campeões na classe RGS-Cruiser”, explicou Pedro Rodrigues. “Entendo que esta edição foi uma das melhores pela integração de vários aspectos, qualidade de regatas na água, atendimento dos velejadores e convidados no YCI após as provas, além da boa programação cultural da Vila”, completou.

Eficiência na terra e no mar – Na parte técnica, que inclui Comissão de Regata (CR), juízes e velejadores, a avaliação feita pelo diretor da CR, Carlos Sodré, é mais uma vez positivo. “Houve um respeito mútuo entre juízes e tripulações, o que contribui diretamente para fortalecer as ações na água e elevar o nível do campeonato disputado pela elite da vela do Brasil”.

Encerrada a Ilhabela Sailing Week, os velejadores em campanha olímpica para os Jogos do Rio mudam o foco para o Evento Teste que será disputado a partir do dia 2 de agosto nas raias das regatas de 2016. Entre eles, Bruno Prada, Marco Grael, Henrique Haddad, Samuel Albrecht, Gustavo Thiesen e Geison Mendes.

Consciência olímpica – O medalhista olímpico Lars Grael, campeão sul-americano de Star ao lado de Samuel Gonçalves na Ilhabela Sailing Week, analisa prós e contras para os brasileiros que estarão competindo em casa. “É bom você conhecer a pista, a quadra, a raia, a piscina, mas tem atletas que conseguem usar a torcida a favor e outros que sentem a pressão. Não adianta também esperar que os locais de disputa tenham um efeito La Bombonera”, aconselha.

Na vela especificamente, Lars recomenda que os brasileiros não se atenham exclusivamente no conhecimento da raia. “Em 1996, nos Jogos de Atlanta, o Brasil foi o melhor país na vela em uma raia dificílima de Savana. Os americanos, que possuíam as informações mais detalhadas, ganharam apenas dois bronzes. Priorizaram os dados e deixaram de lado a intuição”.

Em relação à equipe brasileira, Lars considera que existe um equilíbrio entre os mais experientes e a nova geração. “Existe uma expectativa muito grande sobre a Martine e a Kahena na classe 49erFX, que têm obtido resultados importantes em competições internacionais e por outro lado você tem o Robert Scheidt que pode conquistar a sexta medalha”.

Ciente de que não há mágica existente para se despoluir a Baia de Guanabara em até 80%, como foi vendido durante a campanha do Rio para se tornar sede dos Jogos, Lars aconselha que se atue dentro da realidade. “Pior do que aceitar, é negar a existência do problema. As regatas serão disputadas na raia mais degradada da história olímpica. Agora é preciso mostrar força de vontade e agir com decência. Ninguém vai resolver nada até 2016, mas podemos amenizar a situação”.

Espírito de equipe – A principal novidade da 41ª edição da Ilhabela Sailing Week, a Regata por Equipes contemplou o Grêmio de Vela da Escola Naval, do Rio de Janeiro. Os representantes da Marinha venceram com os barcos: Brekelé, Quiricomba, Dourado e Bijupirá, das classes ORC e RGS.

“É uma vocação natural da Marinha do Brasil, alimentar o espírito de equipe. Foi uma vantagem nossa sobre os outros três times. Para 2015 vamos nos preparar ainda melhor para a defesa do Troféu Pen Duick II, de posse transitória”, antecipa Ricardo Lebreiro, o Riquinha, há 30 anos professor de vela na Escola Naval. Aos nove anos já velejava na classe Pinguim. “Tem aluno meu que hoje é almirante”, orgulha-se com humildade o instrutor de 61 anos.

Campeões da 41a. edição

S40 – Pajero (Sérgio Rocha)
C30 – Zeus (Inacio Vandresen)
HPE – Ginga (Breno Chvaicer)
ORC A – Seu Tatá (Paulo Cesar Haddad)
ORC B – Lucky V (Ralph de Vasconcellos Rosa)
ORC C -Bravísismo 4 (Ian Muniz)
ORC Geral – Seu Tatá (Paulo Cesar Haddad)
IRC – Rudá (Guilherme Hernandes)
RGS A – Montecristo (Julio Cechetto)
RGS B – Total Balance (Sérgio Klepacz)
RGS C – Azulão (Marcelo Polonio)
RGS Cruiser – BL3 (Clauberto Andrade)
RGS Geral – Azulão (Marcelo Polonio)
Por equipes – Escola Naval (Bijupirá/Breklé/Dourado/Quiricomba)
Sul-Americano de Star – Lars Grael/Samuel Gonçalves
Sul-Americano de ORC 500 – Seu Tatá (Paulo César Haddad)
Sul-Americano de ORC 600 – Orson (Carlos Eduardo Souza e Silva)

Resultados completos no site oficial:

http://www.ilhabelasw.com.br/2014/resultados/#tit

A Ilhabela Sailing Week teve organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi Motors, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reuniram embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também foram válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.

assinatira isw2014

Conheça os vencedores da ISW 2014

O veleiro Pajero Mitsubishi, de Santos, conquistou o título da S40, a classe mais veloz da 41ª edição da Ilhabela Sailing Week. O cancelamento das regatas do último dia de competição, por falta de vento, confirmou a superioridade da tripulação multinacional, com o retrospecto de três vitórias em seis regatas. O vice-campeão Carioca, do Rio de Janeiro, ganhou duas e ficou à frente do Crioula, de Porto Alegre, campeão em 2013. O Magia Energisa, do bicampeão olímpico Torben Grael, também venceu uma regata.

Cinco nações contribuíram para que o Pajero Mitsubishi colocasse dois pontos de vantagem sobre o Carioca, de Roberto Martins. Brasil, Argentina, Uruguai, Espanha e Itália estavam representados entre os tripulantes, que recentemente conquistaram o vice-campeonato mundial de TP52 na Itália, um dos trunfos para a vitória em Ilhabela, em uma classe tão equilibrada.

“Só tivemos a confirmação de que a base da tripulação seria mantida na Ilhabela Sailing Week, em cima da hora. Não sabíamos quem viria. Além do mais, o barco é novo e não tivemos tempo para treinar, mas o entrosamento da equipe do TP52 superou as dificuldades”, relatou o timoneiro André Fonseca, o Bochecha. “Foi um grande resultado”.

Ao mesmo tempo em que cumpriu o objetivo de conquistar o título, os tripulantes mantiveram-se em treino para a Copa do Rei, tradicional competição de oceano em Palma de Mallorca (ESP), a partir de 4 de agosto. “Como treino, Ilhabela foi importantíssima. Antes da próxima regata, só teremos tempo de sair do barco e entrar direto no avião”, brincou o bem humorado Bochecha.

Supremacia catarinense – A classe C30, sempre muito disputada, reuniu sete barcos e teve como campeão o Zeus Team, de Santa Catarina. A tripulação comandada por Inácio Vandresen é participante assídua em Ilhabela e conseguiu quebrar a hegemonia do bicampeão CA Technologies Loyal. “Esperava vencer, mas nosso desempenho foi surpreendente”, analisou Inácio.

“A equipe é muito unida e durante as regatas manteve-se concentrada em cada detalhe. Tivemos pouquíssimos erros a bordo e a tática foi perfeita”, elogiou Inácio, referindo-se principalmente aos tripulantes Felipe Linhares, o Fipa, e Fábio Pillar, responsáveis pela ‘leitura’ da raia. “Agora é hora de comemorar. Merecemos um bom vinho e um bom espumante”. A tripulação veleja junta há dez anos e já tem os próximos objetivos traçados: Campeonato Brasileiro de C30 em outubro, também em Ilhabela, e Circuito Ilha de Santa Catarina, em fevereiro de 2015.

O Caiçara Porshe, quarto colocado, atrás do Relaxa Next Caixa e do Caballo Loco, ganhou durante a semana o reforço de Maurício Santa Cruz, o Santinha, vindo do Campeonato Norte-americano de J70 e que teve o primeiro contato com um C30. “Achei o barco super legal. É simples estável e fácil de manobrar. Ideal para se velejar nas condições climáticas do Brasil”, avaliou Santinha, que permanecerá na tripulação para correr as próximas competições da classe. Em 2015 terá a missão de brigar pelo tricampeonato pan-americano da classe J24 nos Jogos de Toronto, no Canadá

Força de Porto Rico – Na classe IRC, o Rudá também comemorou o bicampeonato, com a mesma tripulação de 2013. “Conhecemos o barco, um First 40, na Volta de Antígua, onde corremos no veleiro de dois amigos portorriquenhos. Gostamos e há dois anos compramos um barco igual na Bahia”, informou o comandante Mario Martinez.

A hegemonia do Rudá neste ano, fez com que a equipe tivesse o privilégio de descartar um primeiro lugar. “Conseguimos andar na frente de barcos maiores, foi o que garantiu o título. Durante anos aplaudimos os ganhadores e sei muito bem como é difícil vencer aqui na Ilha”, emendou o ituano Martinez, que convidou os dois portorriquenhos para reforçar a tripulação. Em outubro de 2013, o barco venceu a classe IRC na Regata Santos-Rio.

Jaime Torres, de Porto Rico, exímio conhecedor do First 40, é o responsável pela regulagem do barco. “É o meu segundo ano em Ilhabela. A melhor experiência que já tive. O público é muito envolvido com o evento, todos se envolvem com a vela. É similar ao que acontece nas regatas na Nova Zelândia”, exaltou Jaime, acostumado a velejar em vários países.

Vitória em família – O Azulão foi o primeiro colocado na classe RGS C e Geral. A união entre pai, mãe e filho contribuiu para que a tripulação trabalhasse em harmonia. “Velejamos juntos há dez anos na Represa de Guarapiranga e estamos bastante entrosados”, comentou o comandante Marcello Polonio, que leva o barco no leme enquanto a esposa Lígia cuida das velas balão e genoa e o filho Lucca, tripulante mirim, faz as tarefas de proa.

Nos dois anos anteriores, o Azulão havia obtido dois terceiros lugares na RGS C. Serviu como aprendizado para que a vitória em família fosse comemorada na 41ª edição da Ilhabela Sailing Week. “Acumulamos a experiência necessária e nos dedicamos muito para corrigirmos os erros. Alcançamos nosso objetivo e tiramos a pressão”, contou aliviada a esposa, mãe e trimmer, Lígia.

Orson vence o Sul-americano de ORC – O barco do Yacht Club de Ilhabela foi campeão na classe ORC 600, somando-se as participações no Circuito Punta del Este, em janeiro, e na Ilhabela Sailing Week, segunda e última etapa do Sul-americano de 2014. O Seu Tatá, do Rio de Janeiro ganhou na ORC 500.

“Nós sempre corremos as duas etapas e depois, os barcos do cone sul vêm a Ilhabela, mas neste ano os melhores do Chile, Uruguai e Argentina não vieram porque a maioria dos tripulantes esteve no Brasil somente para a Copa do Mundo de Futebol”, afirmou o comandante do Orson, Carlos Eduardo Souza e Silva, o Kalu, também diretor de Vela do Yacht Club de Ilhabela.

“Somos bicampeões, já havíamos vencido o circuito em 2007 também com tripulação de Ilhabela. Fomos vice lá e ganhamos aqui. A primeira etapa é mais desafiadora, devido à travessia Buenos Aires-Punta del Este, disputada no Rio da Prata, mas as regatas em Punta del Este e em Ilhabela são mais técnicas”, comparou Kalu.

Prêmio aos mais bem vestidos – A noite de quinta-feira foi especial para duas tripulações da 41a. edição da Ilhabela Sailing Week. O Caballo Loco, de Mauro Dottori, e o time feminino do Corum, comandado por Juliana Duque, foram os vencedores do 5• Prêmio Revista Iate, que elege as equipes masculina e feminina mais bem vestidas da competição. O evento, realizado no Iate Clube de Santos, foi prestigiado por cerca de 600 pessoas.

Resultados finais da 41a. edição

S40 – 6 regatas, 1 descarte
1.- Pajero (Sérgio Rocha) – 7 pp (2+[3]+1+1+1+2)
2.- Carioca (Roberto Martins) – 9 pp (1+[4]+3+2+2+1)
3.- Crioula 29 (Samuel Albrecht) – 13 pp ([3]+2+2+3+3+3)

C30 – 6 regatas, 1 descarte
1.- Zeus (Inacio Vandresen) – 8 pp ([3]+1+2+2+1+2)
2.- Relaxa Next Caixa (Roberto Mangabeira) – 16 pp (2+[7]+1+1+5+7)
3.- Caballo Locco (Mauro Dottori) – 16 pp ([5]+2+4+5+2+3)

HPE – 8 regatas, 1 descarte
1.- Ginga (Breno Chvaicer) – 12 pp (1+1_+4+2+2+[9]+1+1)
2.- Atrevido (Fábio Bocciarelli) – 26 pp ([23]+10+3+1+1+2+2+7)
3.- Take Ashauer (Marcos Ashauer) – 30 pp (3+4+6+6+[23]+1+4+6)

ORC A – 6 regatas, 1 descarte
1.- Seu Tatá (Paulo Cesar Haddad) – 7 pp (2+2+1+1+1+[5])
2.- Angela VI (Peter Siemsen) – 9 pp ([3]+1+2+2+3+1)
3.- Lexus/Chroma (Gustavo Crescenzo) – 11 pp (1+[4]+3+3+2+2)

ORC B – 6 regatas, 1 descarte
1.- Lucky V (Ralph de Vasconcellos Rosa) – 7 pp ([4]+1+1+1+1+[3])
2.- Absoluto (Pedro Prosdócimo Neto) – 14 pp (3+[4]+4+3+2+2)
3.- Santa Fé V (Nélson Ávila Thomé Jr.) – 17 pp (1+2+2+5+7+[10])

ORC C – 6 regatas, 1 descarte
1.- Bravísismo 4 (Ian Muniz)- 5 pp (1+1+1+1+1+[6])
2.- Rocket Power (Luiz Augusto Lopes de Castro) – 12,5 pp (4+3+3+2,5+3+1)
3.- Prozak (Márcio Finamore) – 13,5 pp (3+2+2+2,5+4+ [6])

ORC Geral – 6 regatas, 1 descarte
1.- Seu Tatá – 14 pp (5+6+1+1+1+[19])
2.- Lucky V – 14 pp ([7]+1+3+3+3+4)
3.- Angela VI – 17 pp ([10]+4+2+5+5+1)

IRC – 6 regatas, 1 descarte
1.- Rudá (Guilherme Hernandes) – 5 pp ([1]+1+1+1+1+1)
2.- Mandinga (Jonas Penteado) – 11 pp (2+2+2+2+[3]+3)
3.- Terroso (Carlos Augusto Matos) – 13 pp ([3]+3+3+3+2+2)

RGS A – 6 regatas, 1 descarte
1.- Montecristo (Julio Cechetto) – 18 pp (2+[7]+2+4+2+1)
2.- Quiricomba (Marinha) – 13 pp (8+2+1+1+1+[11])
3.- Fram (Felipe Aidar) – 17 pp (1+3+6+[7]+5+2)

RGS B – 6 regatas, 1 descarte
1.- Total Balance (Sérgio Klepacz)- 5 pp (1+1+[13]+1+1+1)
2.- Bruxo (Luiz Schaefer) – 13 pp (2+2+1+5+3+[6])
3.- Albatroz (Marinha) – 18 (3+6+2+2+5+[13])

RGS C – 6 regatas, 1 descarte
1.- Azulão (Marcelo Polonio) – 7 pp (1+2+2+[4]+1+1)
2.- Xiliki (Renato Bosso)- 11 pp ([5]+3+1+3+2+2)
2.- Garrotilho (Paulo Linhares) – 12 pp (2+1+3+2+[16]+4)

RGS Cruiser – 5 regatas
1.- BL3 (Clauberto Andrade) – 10 pp (1+3+4+1+1)
2.- Thalassa (Maurício Duarte)
3.- Jambock (Marco Aleixo) – 18 pp (3+2+5+2+6)

RGS Geral – 5 regatas
1.- Azulão (Marcelo Polonio) – 31 pp (4+4+14+5+4)
2.- Montecristo (Julio Cechetto) – 37 pp (21+6+6+3+1)
3.- Xiliki (Renato Bosso) – 38 pp (6+3+12++8+9)

Por equipes – 6 regatas, 1 descarte
1.- Escola Naval (Bijupirá/Breklé/Dourado/Quiricomba) – 131 pontos
2.- Iate Clube de Santos (Chroma/Pi/Ciao/Saba) – 158 pontos
3.- Charitas (Lucky V/Santa Fé V/Albatroz/Zeppa) – 173 pontos
4.- Yacht Club de Ilhabela (Orson/Fantasma/Kanibal/Jazz) – 204 pontos

Sul-Americano de Star – 7 regatas c/ 1 descarte
1.- Lars Grael/Samuel Gonçalves – 11 pp (1+1+1+2+5+1+[19])
2.- Bruno Prada/Guilherme Almeida – 18 pp ([4]+3+3+1+4+4+3)
3.- Marcelo Bellotti/Antonio Moreira – 21 pp (2+4+4+[10]+7+2+2)
4.- Fábio Bruggioni/Marcelo Sansone – 21 pp (3+[5]+5+4+2+3+4)
5.- Dino Pascholato/Henry Boening – 22 pp ([7]+2+6+3+1+5+5)

Sul-Americano de ORC 500
1.- Seu Tatá (Paulo César Haddad)
2.- Gaucho (ARG-Carlos Belchor)
3.- Sirtecom (Chi – Walter Astorga)

Sul-Americano de ORC 600
1.- Orson (Carlos Eduardo Souza e Silva)
2.- Lucky V (Ralph de Vasconcellos Rosa)
3.- Brujas (ARG)

Resultados completos no site oficial:

http://www.ilhabelasw.com.br/2014/resultados/#tit

A Ilhabela Sailing Week teve organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi Motors, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reuniram embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também foram válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.

Vídeos disponíveis – As imagens das regatas da 41a. edição estão disponíveis em dois vídeos:
http://youtu.be/RNdwsHeM570 – 5min16 com balanço de todas as regatas
https://www.youtube.com/watch?v=TVfJnijvQPI – 3min51 com imagens da regata de abertura.
Os vídeos são de Bruno Lantieri Produções.

Site e fan page estão no ar – A 41a. edição da Ilhabela Sailing Week já tem site e fan page no ar.

Para conferir as novidades acesse:
site oficial : ilhabelasw.com.br
Fanpage no Facebook: ilhabelasw

Ary Pereira Jr. – MTb 23297 / ary@zdl.com.br

Falta de vento cancela as regatas de hoje e campeões são definidos

A falta de ventos foi responsável pelo cancelamento das regatas deste sábado na Ilhabela Sailinw Week e, com a manutenção dos resultados de ontem, os campeões da 41ª edição da competição foram definidos.

Na Classe C30 o Zeus Team, de Inácio Vandersen, com 8 pontos acumulados, foi o primeiro colocado, seguido do Relaxa;Next Caixa, de Roberto Mangabeira. Na terceira colocação, também com 16 pontos acumulados, o Caballo Locco, de Mauro Dottori.

Na HPE, pelo segundo ano consecutivo o Ginga, de Breno Chvaicer, com 12 pontos acumulados foi o campeão. Em segundo, com 26 pontos, o Atrevido, de Fabio Bocciarelli. E, em terceiro, o Take Ashauer, de Marcos Ashauer, com 30 pontos.

Na IRC a briga pela primeira colocação terminou com o Rudá, de Guilherme Eduardo Hernandes, em primeiro, com 5 pontos seguido do Mandinga, de Jonas Penteado e do Terroso, de Carlos Augusto de Matos, na segunda e terceira colocações, com 11 e 13 pontos, respectivamente.

A equipe do veleiro Seu Tatá, de Paulo Cesar Chafic Haddad fio a campeã da ORC, com 14 pontos acumulados, o mesmo que o segundo colocado, o Lucky V, de Ralpfh Rabello Rosa. Em terceiro, na ORC,  o Angela VI de Peter Siemsem.

Com 32 pontos acumulados o Azulão, de Marcelo Pollonio foi  vencedor da RGS, seguido do Montecristo, de Julio Chechetto, com 37 pontos e com o Xiliki, de Renato Bosso, com 38 pontos.

Na última classe oceânica da ISW, a S40, foi o Pajero, de Eduardo Souza Ramos, com 7 pontos acumulados, quem levou o troféu de campeão.

O Carioca 25 e o Crioula 29, de Roberto Martins Souza e Veleiros do Sul, respectivamente foram os segundo e terceiro colocados, com 9 e 13 pontos.

Finalmente, na classe Star, Lars Grael e Samuel Gonçalves conquistaram o primeiro lugar, com 11 pontos acumulados.

assinatira isw2014

 

ISW – Sem regatas, quinta-feira teve clube cheio

Marcos Méndez;SailStation

A falta de ventos impediu a realização das regatas desta quinta-feira, 24 de julho e a e a  confraternização no Yacht Club de Ilhabela começou mais cedo, com a tradicional canoa de cerveja,

Aliás, tanto quanto a parte técnica, na raia, este clima de amizade que o ambiente do YCI proporciona é uma das grandes marcas da Ilhabela Saiing Week, que como em todos os anos, atrai tripulações além de nossas fronteiras.

Desde a década de 80, a Ilhabela Sailing Week atrai velejadores internacionais pelas condições da raia, estrutura do Yacht Club de Ilhabela e qualidade dos velejadores. Neste ano, a Equipe WindPower, do Royal Cape Yatch Club, da Cidade do Cabo, na África do Sul, é a mais longínqua entre as 130 que competem na principal disputa de oceano da América Latina.

A Equipe WindPower foi formada há quatro anos e costuma disputar as regatas oceânicas de Cape Town em um Landmark 43 ou com um Simonis 63. Em Ilhabela, estão correndo pela primeira vez com um S40, o Crioula 03, do Veleiros do Sul (RS).

Um dos mais experientes da tripulação sul-africana é o timoneiro Mark Sadler, de 37 anos. O velejador teve contato com a modalidade aos dez anos na classe Optimist e se consolidou na vela oceânica como timoneiro do primeiro barco do continente africano na America’s Cup, o Shosholoza, na histórica participação de 2007, em Valência, na Espanha. Em Ilhabela, estão aprendendo a manejar o barco e por isso ocupam a quinta colocação entre os cinco da classe, mas já conseguiram chegar à frente do Magia Energisa, de Torben Grael.

“É uma competição fantástica, em uma atmosfera especial, que contagia os velejadores. As pessoas são muito amáveis e proporcionam um clima de confraternização no clube e de disputas incríveis na raia. Estou adorando velejar em Ilhabela”, enalteceu Mark, admirador do adversário brasileiro, dono do cinco medalhas olímpicas.

“A vela oceânica brasileira, em relação aos barcos e às tripulações, está em um nível similar ao da África do Sul, o que difere é a eficiência dos velejadores ‘top’ de monotipos, como Torben Grael e Robert Scheidt. Não temos velejadores como eles”, comparou o timoneiro sul-africano. “Os velejadores olímpicos brasileiros estão entre os melhores do mundo”, resumiu Mark.

Merecida lembrança – O tático da Equipe WindPower, Rick Nankin, veterano na vela, ao ouvir as palavras de Mark, fez questão de intervir. “Considero Joerg Bruder um dos mais completos velejadores que já vi. Quando falarmos dos melhores do Brasil, temos de incluí-lo”, acrescentou Rick com entusiasmo pelo brasileiro tricampeão mundial e bi pan-americano da classe Finn, vítima do acidente aéreo de Orly em 1973.

O motivo que trouxe a tripulação sul-africana ao Brasil foi o investimento que o comandante da equipe, Phil Gutsche, em empresas multinacionais instaladas no Brasil. “O Phil, responsável por fábricas da Coca-Cola na África do Sul, está investindo em indústrias brasileiras da marca. Como estou morando há um ano em Goiânia, a relação entre os dois países fica mais estreita. A Regata Cape Town-Rio também ajudou”, esclareceu o trimmer (regulador de velas) Charles Nankin, filho de Rick.

Enquanto Charles veleja, a esposa Flávia, de Goiás, dá aula de Zumba, modalidade de ginástica aeróbica, no Yacht Club de Ilhabela. Ela é o motivo de Charles estar morando em Goiânia. “Quero aproveitar para agradecer ao Eduardo Plass e ao Samuel Albrecht pela força que estão nos dando para velejarmos no barco deles. Esse intercâmbio é fundamental para a evolução da classe e da vela em geral”, completou Charles.

Catarinenses lideram na C30 – A exemplo da S40, a classe C30 também consegue ser competitiva pela qualidade das tripulações. São sete barcos disputando metro a metro nas raias de Ilhabela. Apesar do equilíbrio, o Zeus Team, de Santa Catarina, conseguiu uma vantagem de sete pontos sobre o segundo colocado, Relaxa Next Caixa, que tem a mesma pontuação do Caiçara Porsche, o terceiro.

“Nossa tripulação está junta há muito tempo e nossa diferença é que temos três táticos a bordo. Eu, o Fábio Pillar e o Guilherme Lima. Um ajuda ao outro o tempo todo”, brinca o timoneiro Felipe Linhares, o Fipa, em relação ao acúmulo de funções. “Também melhoramos a mastreação para correr a Ilhabela Sailing Week”.

A liderança relativamente folgada, não dá ao timoneiro a certeza de um bom resultado ao final da competição. “No Zeus anterior perdemos o campeonato por um ponto, no último dia. Em outro campeonato, fomos superados no desempate. Sei que é importante manter os pés no chão e a regularidade até o último instante”, recomendou Fipa

“A diferença entre chegar em primeiro ou em quinto é mínima, apenas um detalhe. O Relaxa está velejando muito bem, o CA Technologies, atual campeão, ganhou o reforço do Santinha (Maurício Santa Cruz). Todas as tripulações têm profissionais e estão aprendendo cada vez mais, o que eleva o nível da C30 a cada campeonato”, afirmou o polivalente tripulante.

Dia sem regatas – A falta de vento na quinta-feira (24), quarto dia da Ilhabela Sailing Week, provocou o cancelamento das regatas em todas as classes. Com a bandeira recon (largada retardada) hasteada no Yacht Club de Ilhabela, os velejadores sequer embarcaram, exceto as classes Star e HPE que chegaram a ir para a água, mas o vento, fraco e rondado, impediu que a Comissão de Regatas (CR) desse a largada.

As tripulações aproveitaram o dia para colocar a conversa em dia na varanda do clube enquanto a CR se esforçava, em vão, para tentar organizar pelo menos uma regata. Após o cancelamento oficial a confraternização prosseguiu com os velejadores embalados pela canoa de cerveja ao som do violinista Conrado Pouza.

Nesta sexta (25), com a previsão da chegada da frente fria, com ventos de quadrante sul, todas as classes, exceto Star e HPE, estão convocadas para a largada antecipada para as 10h. A intenção da CR é de fazer uma regata de percurso médio no Canal de São Sebastião.

Resultados

S40
Acumulado:
1.- Pajero – 8 pp (2+3+1+1+1)
2.- Carioca (Roberto Martins) – 12 pp (1+4+3+2+2)
3.- Crioula 29 (Samuel Albrecht) – 13 pp (3+2+2+3+3)

C30
Acumulado:
1.- Zeus – 9 pp (3+1+2+2+1)
2.- Relaxa Next Caixa – 16 pp (2+7+1+1+5)
3.- Caiçara-Porsche (Marcos de Oliveira Cesar) – 16 (4+3+3+3+3)

HPE
Acumulado:
1.- Ginga (Breno Chvaicer) – 10 pp (1+1_+4+2+2)
2.- Bixiga (Pino di Segni) – 20 pp (6+5+2+3+4)
3.- Fit to Fly (Eduardo Mangabeira) – 25 pp (5+2+1+9+8)

Star
Acumulado:
1.- Lars Grael/Samuel Gonçalves – 5 pp (1+1+1+2)
2.- Bruno Prada/Guilherme Almeida – 11 pp (4+3+3+1)
3.- Fábio Bruggioni/Marcelo Sansone – 17 pp (3+5+5+4)

ORC A
Acumulado:
1.- Seu Tatá – 7 pp (2+2+1+1+1)
2.- Angela VI (Peter Siemsen) – 11 pp (3+1+2+2+3)
3.- Lexus/Chroma (Gustavo Crescenzo) – 13 pp (1+4+3+3+2)

ORC B
Acumulado:
1.- Lucky V – 8 pp (4+1+1+1+1)
2.- Absoluto (Pedro Prosdócimo Neto) – 16 pp (3+4+4+3+2)
3.- Santa Fé V (Nélson Ávila Thomé Jr.) – 17 pp (1+2+2+5+7)

ORC C
Acumulado
1.- Bravísismo 4 – 5 pp (1+1+1+1+1)
2.- Prozak (Márcio Finamore) – 13,5 pp (3+2+2+2,5+4)
3.- Rocket Power (Luiz Augusto Lopes de Castro) – 15,5 pp (4+3+3+2,5+3)

ORC Geral
1.- Seu Tatá – 14 pp (5+6+1+1+1)
2.- Lucky V – 17 pp (7+1+3+3+3)
3.- Bravíssimo 4 – 23 pp (6+3+5+2+7)

IRC 
Acumulado
1.- Rudá – 5 pp (1+1+1+1+1)
2.- Mandinga (Jonas Penteado) – 11 pp (2+2+2+2+3)
3.- Terroso (Carlos Augusto Matos) – 14 pp (3+3+3+3+2)

RGS A 
Acumulado
1.- Quiricomba – 13 pp (8+2+1+1+1)
2.- Brekelé (Marinha) – 13 pp (4+1+3+3+2)
3.- Montecristo (Julio Cechetto) – 18 pp (2+7+2+4+3)

RGS B 
Acumulado
1.- Bruxo (Luiz Schaefer) – 13 pp (2+2+1+5+3)
2.- Total Balance – 17 pp (1+1+13+1+1)
3.- Albatroz (Marinha) – 18 (3+6+2+2+5)

RGS C 
Acumulado
1.- Azulão – 10 pp (1+2+2+4+1)
2.- Xiliki (Renato Bosso)- 14 pp (5+3+1+3+2)
2.- Rainha – 19 pp (4+5+6+1+3)

RGS Cruiser 
Terceira regata – 1.- Boccalupo (Cláudio Meragno)
Quarta regata – 1.- BL3 (Clauberto Andrade)

Acumulado
1.- BL3 (Clauberto Andrade) – 9 pp (1+3+4+1)
2.- Thalassa (Maurício Duarte) – 10 pp (2+1+2+5)
3.- Jambock (Marco Aleixo) – 12 pp (3+2+5+2)

RGS Geral
1.- Azulão – 29 pp (1+4+4+14+6)
2.- Brekelé – 34 pp (16+3+8+4+3)
3.- Xiliki – 35 pp (5+6+3+12+9)

Resultados completos no site oficial:

http://www.ilhabelasw.com.br/2014/resultados/#tit

A Ilhabela Sailing Week tem a organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi Motors, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reunirão embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE-25, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também serão válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.

Vídeo da regata de abertura – Está disponível no endereço https://www.youtube.com/watch?v=TVfJnijvQPI vídeo com 3min51 com imagens de água e aérea da Regata Alcatrazes por Boreste – Marinha do Brasil, disputada no domingo (20). O vídeo foi produzido por Bruno Lantieri.

Fotos em alta resolução – Os jornalistas que precisarem baixar fotos em alta resolução da 41a. edição devem entrar no site www.sailstation.com, clicar em fotos e preencher um cadastro para criar uma conta. Em seguida receberá o retorno com login e senha para baixar as fotos em alta resolução.

Programação da 41ª Ilhabela Sailing Week

24/7 – quinta-feira
12h – Regatas para todas as classes
17h – Confraternização no YCI
20h – Prêmio Revista Iate – sede do ICS

25/7 – sexta-feira
12h – Regatas para todas as classes
17h – Premiação por Equipes – Show com a banda Tom Cats

26/7 – sábado
12h – Regatas finais para todas as classes
17h – Confraternização no YCI
20h – Premiação – Entrega de prêmios aos vencedores de todas as classes participantes da 41ª Ilhabela Sailing Week, XVII Campeonato Sul-americano da classe ORC e XLV Campeonato Sul-americano da classe Star.

Programação cultural na Vila

24/7 – quinta-feira
22h – Bamboa Samba Club

25/7 – sexta-feira
19h – Cinema: Documentário “Mar Me Quer”, de Isabella Nicolas
20h – XI Mostra de Dança da Fundaci

26/7 – sábado
20h – XI Mostra de Dança da Fundaci

Site e fan page estão no ar – A 41a. edição da Ilhabela Sailing Week já tem site e fan page no ar.

Para conferir as novidades acesse:
site oficial : ilhabelasw.com.br
Fanpage no Facebook: ilhabelasw

Ary Pereira Jr. – MTb 23297 / ary@zdl.com.br

assinatira isw2014

ISW – ventos fortes e dia ensolarado marcaram as regatas desta quarta

Nesta quarta-feira (23) os veleiros da classe S40 travaram duelos emocionantes, proporcionados pelo vento, que durante as duas regatas do terceiro dia de competição, rondou de nordeste para sueste, subindo de oito para 12 nós (20 km/h), com uma quarta-feira de calor e céu completamente azul.

O Pajero Mitsubishi venceu as duas provas no formato barla-sota (boia a boia) com 7,5 milhas (14 km), seguido por Crioula e Carioca, e manteve a liderança da classe mais veloz da Ilhabela Sailing Week.

“Na primeira regata, largamos escapado, tivemos de retornar e depois foi uma briga, principalmente com o Crioula, para recuperarmos metro a metro. Na segunda, o duelo foi com o Carioca, que montou em primeiro no contravento e conseguimos ultrapassá-lo no popa. Foram duas vitórias muito apertadas. Ganhamos nos detalhes”, relatou o navegador do Pajero Mitsubishi, Ricardo Campos, destacando ainda a vantagem do entrosamento da tripulação vice-campeã mundial da classe TP52, recentemente na Itália. “Desde o início do ano, já devemos ter passado 40 ou 50 dias juntos somando-se todas as regatas”.

Na Raia 2 também teve dobradinha. Foi na classe HPE, com o veleiro Atrevido, comandado por Fábio Bocciarelli. “O Ginga montou todas as boias na nossa frente na segunda regata. Só fomos ultrapassá-los a 30 metros da linha de chegada, no popa. Largamos bem nas duas regatas e foi possível perceber que o barco está muito bem regulado tanto para popa quanto no contravento. É um prazer ganhar do Ginga”, comemorou Bocciarelli. Com dois segundos lugares, o Ginga manteve a liderança da classe com folga. Na Star, os líderes Lars Grael e Samuel Gonçalves venceram mais uma. A outra vitória foi da dupla Bruno Prada e Guilherme de Almeida.

Quem também teve muitos motivos para comemorar foi a tripulação do Seu Tatá, na classe ORC. O barco do Iate Clube do Rio venceu as duas regatas do dia, acumulando três vitórias em cinco provas, o que garante a primeira colocação na ORC A e geral. “As regatas estavam muito bem estruturadas. Estamos com velas novas e conseguimos acertar a regulagem. Soma-se a tudo isso a disposição da nossa garotada”, opinou o comandante Paulo Cesar Haddad, sobre os motivos que levam o Seu Tatá à liderança.

“Ainda tem muita regata pela frente, mas se conseguirmos manter essa regularidade, ficaremos entre os três primeiros. Esse é o nosso objetivo”, estipulou Haddad que deu nome à embarcação em homenagem ao sogro falecido recentemente e que tinha pavor de entrar na água. “Seu Tatá não entrava no mar de jeito nenhum e nunca veio a bordo. Quem sabe se agora ele está dando uma forcinha para a tripulação”.

A Ilhabela Sailing Week tem a organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi Motors, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reunirão embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE-25, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também serão válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.

Resultados

S40
Acumulado:
1.- Pajero – 8 pp (2+3+1+1+1)
2.- Carioca (Roberto Martins) – 12 pp (1+4+3+2+2)
3.- Crioula 29 (Samuel Albrecht) – 13 pp (3+2+2+3+3)

C30
Acumulado:
1.- Zeus – 9 pp (3+1+2+2+1)
2.- Relaxa Next Caixa – 16 pp (2+7+1+1+5)
3.- Caiçara-Porsche (Marcos de Oliveira Cesar) – 16 (4+3+3+3+3)

HPE
Acumulado:
1.- Ginga (Breno Chvaicer) – 10 pp (1+1_+4+2+2)
2.- Bixiga (Pino di Segni) – 20 pp (6+5+2+3+4)
3.- Fit to Fly (Eduardo Mangabeira) – 25 pp (5+2+1+9+8)

Star
Acumulado:
1.- Lars Grael/Samuel Gonçalves – 5 pp (1+1+1+2)
2.- Bruno Prada/Guilherme Almeida – 11 pp (4+3+3+1)
3.- Fábio Bruggioni/Marcelo Sansone – 17 pp (3+5+5+4)

ORC A
Acumulado:
1.- Seu Tatá – 7 pp (2+2+1+1+1)
2.- Angela VI (Peter Siemsen) – 11 pp (3+1+2+2+3)
3.- Lexus/Chroma (Gustavo Crescenzo) – 13 pp (1+4+3+3+2)

ORC B
Acumulado:
1.- Lucky V – 8 pp (4+1+1+1+1)
2.- Absoluto (Pedro Prosdócimo Neto) – 16 pp (3+4+4+3+2)
3.- Santa Fé V (Nélson Ávila Thomé Jr.) – 17 pp (1+2+2+5+7)

ORC C
Acumulado
1.- Bravísismo 4 – 5 pp (1+1+1+1+1)
2.- Prozak (Márcio Finamore) – 13,5 pp (3+2+2+2,5+4)
3.- Rocket Power (Luiz Augusto Lopes de Castro) – 15,5 pp (4+3+3+2,5+3)

ORC Geral
1.- Seu Tatá – 14 pp (5+6+1+1+1)
2.- Lucky V – 17 pp (7+1+3+3+3)
3.- Bravíssimo 4 – 23 pp (6+3+5+2+7)

IRC
Acumulado
1.- Rudá – 5 pp (1+1+1+1+1)
2.- Mandinga (Jonas Penteado) – 11 pp (2+2+2+2+3)
3.- Terroso (Carlos Augusto Matos) – 14 pp (3+3+3+3+2)

RGS A
Acumulado
1.- Quiricomba – 13 pp (8+2+1+1+1)
2.- Brekelé (Marinha) – 13 pp (4+1+3+3+2)
3.- Montecristo (Julio Cechetto) – 18 pp (2+7+2+4+3)

RGS B
Acumulado
1.- Bruxo (Luiz Schaefer) – 13 pp (2+2+1+5+3)
2.- Total Balance – 17 pp (1+1+13+1+1)
3.- Albatroz (Marinha) – 18 (3+6+2+2+5)

RGS C
Acumulado
1.- Azulão – 10 pp (1+2+2+4+1)
2.- Xiliki (Renato Bosso)- 14 pp (5+3+1+3+2)
2.- Rainha – 19 pp (4+5+6+1+3)

RGS Cruiser
Terceira regata – 1.- Boccalupo (Cláudio Meragno)
Quarta regata – 1.- BL3 (Clauberto Andrade)

Acumulado
1.- BL3 (Clauberto Andrade) – 9 pp (1+3+4+1)
2.- Thalassa (Maurício Duarte) – 10 pp (2+1+2+5)
3.- Jambock (Marco Aleixo) – 12 pp (3+2+5+2)

RGS Geral
1.- Azulão – 29 pp (1+4+4+14+6)
2.- Brekelé – 34 pp (16+3+8+4+3)
3.- Xiliki – 35 pp (5+6+3+12+9)

Resultados completos no site oficial:

http://www.ilhabelasw.com.br/2014/resultados/#tit

A Ilhabela Sailing Week tem a organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi Motors, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reunirão embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE-25, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também serão válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.

Vídeo da regata de abertura – Está disponível no endereço https://www.youtube.com/watch?v=TVfJnijvQPI vídeo com 3min51 com imagens de água e aérea da Regata Alcatrazes por Boreste – Marinha do Brasil, disputada no domingo (20). O vídeo foi produzido por Bruno Lantieri.

Fotos em alta resolução – Os jornalistas que precisarem baixar fotos em alta resolução da 41a. edição devem entrar no site www.sailstation.com, clicar em fotos e preencher um cadastro para criar uma conta. Em seguida receberá o retorno com login e senha para baixar as fotos em alta resolução.

Programação da 41ª Ilhabela Sailing Week

24/7 – quinta-feira
12h – Regatas para todas as classes
17h – Confraternização no YCI
20h – Prêmio Revista Iate – sede do ICS

25/7 – sexta-feira
12h – Regatas para todas as classes
17h – Premiação por Equipes – Show com a banda Tom Cats

26/7 – sábado
12h – Regatas finais para todas as classes
17h – Confraternização no YCI
20h – Premiação – Entrega de prêmios aos vencedores de todas as classes participantes da 41ª Ilhabela Sailing Week, XVII Campeonato Sul-americano da classe ORC e XLV Campeonato Sul-americano da classe Star.

Programação cultural na Vila

24/7 – quinta-feira
22h – Bamboa Samba Club

25/7 – sexta-feira
19h – Cinema: Documentário “Mar Me Quer”, de Isabella Nicolas
20h – XI Mostra de Dança da Fundaci

26/7 – sábado
20h – XI Mostra de Dança da Fundaci

Site e fan page estão no ar – A 41a. edição da Ilhabela Sailing Week já tem site e fan page no ar.

Para conferir as novidades acesse:
site oficial : ilhabelasw.com.br
Fanpage no Facebook: ilhabelasw

Ary Pereira Jr. – MTb 23297 / ary@zdl.com.br

 

assinatira isw2014

Imprimir Página

Inicial

……….      ………. ……….  ……….  ……….

 iconeclimatempo        

Link permanente para este artigo: http://yci.com.br/